Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
EN PT

 SegOS

Nome do projeto: SegOS - Segurança e Saúde em Obras Subterrâneas

 

Resumo

O objetivo geral do Projeto SegOS foi explorar a importância do critério "Segurança e Saúde" no processo de escolha do método de escavação em obras subterrâneas, analisando-o em todas as suas vertentes: relativamente aos eventos já ocorridos (por ex., acidentes de trabalho e doenças profissionais), aos riscos que possam vir a existir e à valoração dos mesmos, e à proposta de medidas preventivas.

As obras subterrâneas, como elemento fulcral no desenvolvimento da sociedade, tem vindo a ser alvo de bastantes investimentos financeiros. Atualmente existem dois grandes métodos de escavação subterrânea - o Método de Escavação Convencional (MEC) e o Método de Escavação por Tuneladora (MET). Em alguns casos, em termos técnicos e financeiros, é possível utilizar qualquer um destes dois métodos, sendo o processo decisório um dos maiores desafios da conceção e projeto de um túnel. Este processo deve ser minucioso, sob pena de os resultados obtidos poderem ter graves efeitos sobre os trabalhadores e o público, com consequentes efeitos financeiros e logísticos. Assim, tal como se considera o comprimento ou a secção transversal do túnel como critérios a analisar na comparação entre métodos, é importante analisar o critério "Segurança e Saúde" e considerar o impacto da ocorrência de um acidente de trabalho (AT) ou do surgimento de uma doença profissional (DP).

O projeto SegOS é inovador na medida em que, entre os resultados palpáveis, se inclui a proposta de um documento legislativo, para colmatar a omissão legislativa existente relativamente ao tema em estudo. 

No âmbito do SegOS, os investigadores tiveram a oportunidade de assegurar um período de 18 meses de prestação de serviços na Coordenação de Segurança e Saúde em fase de Obra. O projeto incluiu ainda um estágio realizado na obra Northern Line Extension, a cargo da Ferrovial Laing O'Rourke JV, e visitas técnicas a Crossrail. Os investigadores assumiram ainda a coordenação do Grupo de Trabalho "Segurança e Saúde" da Comissão Portuguesa de Túneis e a representação portuguesa no Working Group 5 da International Tunnelling Association.

 

Data de início: outubro 2014

Data de conclusão: dezembro 2017

Orçamento: 8.000,00€

Equipa UMinho: João Pedro Pereira Maia Couto, Manuel Luís Vila Cova Tender (Centro de Território, Ambiente e Construção - EEUM)

Consórcio: TecMinho , Mota-Engil Engenharia e Construção, ORICA, Domingos da Silva Teixeira, SIKA

Mais informação em: www.segos.pt